Baú Tímido

 

só quando a flor branca

de paina velha

desabrochou uma mecha

na franja da testa

percebi que andei pelas estradas da vida

com medo

dos olhares que se aproximaram

do meu pensamento

 

desmanchei então, algum, em sorrisos

na dobra tímida da minha face

mas daquele que guardo como tesouro

na baú da minha felicidade nada disse

 

penso que o meu pensamento feliz

é frágil ao quebranto dos cachorros

 

penso que o meu pensamento amoroso

é perigoso ao dente das hienas

 

desejo!

e resisto,

de amadurecido cair ao chão

e apodrecer de amores

 

então só ofereço, cá da copa,

uma muralha de espinhos

bem armada, no caule,

com cinqüenta anos de solidão
[ ver mensagens anteriores ]
UOL

Visitante número: