Profecia

 

Um olhar astrônomo

Arrepiado de felicidades

Convidou-me na praça

Para um jantar de quatrocentos talheres

À luz das galáxias

 

Saciei minha fome de estrelas

Bebendo na cauda, o vinho dos cometas,

[que chovia em abundância]

E anunciei bêbado de profecias

 

- Senhores, perdoem-me!

 

Guardem a cruz,

A espada do centurião,

A bíblia e o calvário

Desta vez vim ao planeta

Apenas a passeio

 

 

[ ver mensagens anteriores ]
UOL

Visitante número: