agrade-me

 

derrubei pedra

sobre pedra em mim

no desejo de todos

de ser qualquer coisa

 

sucumbi com a boca

costurada de grades

 

nada sobrevivi

senão desta sensação

em ser o nada

 

a casca da cigarra que já foi

toda cânticos e amorosa de árvores

lampreia agora fantasma a seco

pairando no grude dos galhos

apenas como lembrança dos dias

 

o céu não é o centro

nem o sol a face

não há imagem ao sul

nada que ame a semelhança

senão pela ótica de si

[ ver mensagens anteriores ]
UOL

Visitante número: