trinatedois

 

em dias trinta e dois

assenta no balcão

do meu oitavo andar

o pássaro colorido

que traz na garganta

o peito estufado

das orquestras istambul

 

balanço a cabeça um triste não:

- estou imaginado para silêncios

 

peço ao arco-íris

que deságüe sua névoa incolor

em minha boca de baú xadrez

bebo essa sede

e deito-me nas folhas do milharal

em ondas de brisas

amarelo verde

 

em dias trinta e dois

sou milho

de pensamentos assim

[ ver mensagens anteriores ]
UOL

Visitante número: