Gaiola Ancestral

 

Li "Poesias Completas" de Manoel de Barros, publicado pela editora LEYA. Gosto do Manoel desde os tempos em que os seus poemas eram concebidos sem pecado. Mesmo assim veio um espanto: Manoel é a infância do mundo ou Manoel é o universo do chão? Não houve resposta, nem do céu, nem das formigas que habitam o pó, e quem sabe esse pássaro que depois da leitura ouço, cante em uma gaiola ancestral quando eu ainda ouvia o meu coração. Recomendo.

Herman Melville

BARTLEBY

 

Acabei de ler "BARTLEBY" de Herman Melville (1819-1891), publicado pela ROCCO. Confesso que busquei essa literatura instigado pela menção de ser uma obra precursora de KAFKA (1883-1924) autor que li e reli aa exaustão.

Sim, BARTLEBY traz em seu âmago alguma intenção kafkafiana, um paradoxo temporal não eh? Imagine um autor que viveu anteriormente carregar intenções daquele que viria depois. Também não ouso dizer que KAFKA precisou beber de BARTLEBY para construir a magnifica arquitetura literária dos personagens que habitam "O CASTELO" ou "O PROCESSO", gênios prescindem antecedentes.

Pois bem, BARTLEBY conquistou-me e ainda acendeu-me o desejo de reler KAFKA [a obra completa]. Recomendo.

 

[ ver mensagens anteriores ]
UOL

Visitante número: